Cidade Inteligente e Sustentável BR: Projeto Nascentes Urbanas - Aberto a Parcerias


Cidade Inteligente e Sustentável BR: Projeto Nascentes Urbanas - Aberto a Parcerias:
Projeto Nascentes Urbanas
MÓDULO BÁSICO
Autora : Deise Nascimento
Proponente: OSCIP Instituto Árvore da Vida
O projeto Nascentes Urbanas conjuga ações de recuperação e preservação ambiental, abrange o uso de tecnologias sociais objetivando o urbanismo ambiental, recuperação e preservação de recursos hídricos, recuperação e preservação ambiental e paisagismo.
Contempla as seguintes ações:
● Desenho de praças, equipamentos e mobiliário urbano
● Recuperação de áreas urbanas degradadas
● Recuperação de áreas remanescentes de mata nativa
● Reflorestamentos
● Plantios ciliares
● Viveiros de mudas
● Educação ambiental
● Cursos e palestras
● Oficinas de bioconstrução e solocimento
● Projetos de urbanismo e habitações
● Habitação popular em bioconstrução
● Bambu e suas aplicações
● Pavimentação ecológica
● Uso de energia eólica e solar
● Programas de reciclagem
● Ações voltadas ao desenvolvimento sustentável
Sumário executivo do projeto
Toda ação que ocorre no solo de uma bacia hidrográfica pode afetar a qualidade de sua água, ou ocasionar sua escassez. Partindo desta premissa, o projeto Nascentes Urbanas
visa a recuperação e preservação de nascentes e córregos existentes no tecido urbano e rural. Objetiva a manutenção da rede hídrica e sua capilaridade; contribuindo com uma participação efetiva na preservação de águas subterrâneas e na reposição de estoques dos aqüíferos. Almeja plantio ciliar de indivíduos arbóreos (Resolução SMA 47de 26/11/2003), preservação, manutenção e recuperação de matas ciliares, bem como o combate e prevenção das causas e efeitos da poluição, das inundações, das estiagens, da erosão do solo e do assoreamento dos cursos d'água. Como ação transversal permanente a educação sócioambiental integrada a ações culturais e tecnologias sociais que integrem meio ambiente e a cultura. Envolverá a região contida na Unidade de Gerenciamento de Recursos Hídricos - UGRH, bacias hidrográficas, rios, córregos e nascentes que se encontram em estado de risco e desequilíbrio. Visa minimizar os impactos ocasionados pelo crescimento das cidades e invasão dos mananciais e conseqüente deterioração dos recursos hídricos e crescente aumento da demanda de água.
Como estratégia o plantio ciliar associado ao plano de proteção da fauna e flora visa dar
condições à criação de corredores ecológicos, preservando a biodiversidade, compatibilizando o gerenciamento dos recursos hídricos com desenvolvimento regional e proteção do meio ambiente, estimulando a proteção das águas contra ações que possam comprometer o uso atual e futuro. Optou-se por iniciar as ações com plantio ciliar, fortalecendo núcleos que ainda são caracterizados por um grau adequado de conectividade e progressivamente estimular ações que promovam a integração ecossistêmica entre as principais áreas-alvo, ampliando-as gradativamente.
Serão realizadas ações sócio-educativas sobre uso racional das águas, prevenção à erosão do solo nas áreas urbanas e rurais, promoção e integração de ações na defesa contra eventos hidrológicos críticos que ofereçam riscos à saúde, segurança pública, prejuízos econômicos e sociais. Tais ações serão viabilizadas através de uma rede de parceiros que compõem o corpo técnico do projeto e uso de tecnologias sociais. A participação da comunidade em tais ações será viabilizada através de núcleos de trabalho distribuídos.
O projeto visa recuperar áreas remanescentes de biomas e florestas contidos nas áreas urbanas e rurais e áreas de conurbação entre municípios. Além dos plantios compensatórios, as áreas serão contempladas com projetos de arquitetura e paisagismo utilizadas de forma sustentável, de acordo com o permitido pelo DEPRN, para lazer, contemplação, descanso, integração sócio-cultural e educação sócio-ambiental, em consonância com as diretrizes propostas pelo Plano Diretor de cada município envolvido no projeto, Objetivos do Milênio, Agenda 21, Convenção do Clima, Convenção da Diversidade Biológica, Declaração Universal dos Direitos da Água e Convenção da Diversidade Cultural. Os objetivos finais convergem na recuperação e preservação de nascentes e córregos, através de plantios ciliares, visando a relação direta de recurso hídricos superficiais, reposição de aqüíferos e águas subterrâneas e educação sócio-ambiental através da rede de parceiros.
Será executado um plano de mídia, assessoria de imprensa e comunicação, criação de um site e ampla divulgação nas redes sociais. Eventos culturais programados são parte integrante da comunicação do projeto. Centros de negócios sustentáveis e agências de ecoturismo funcionarão nas sedes dos parceiros e fazem parte do plano de sustentabilidade.
A grande degradação da biodiversidade e dos ecossistemas é uma preocupação global, pois causa uma série de problemas ambientais, entre eles a perda de funções ambientais e de inúmeras espécies de grande importância econômica, estética, científica, genética e ecológica. A partir do estudo preliminar das espécies ameaçadas de extinção fornecida pelo IBAMA, foi escolhido para o plantio o maior número possível de indivíduos arbóreos que desempenhem a função de mata ciliar e que contemple a função de reposição e preservação das espécies ameaçadas de extinção.
Além dos plantios compensatórios, as praças serão contempladas com projetos de arquitetura e paisagismo. Poderão ser utilizadas de forma sustentável, de acordo com o permitido pelo DEPRN, com pistas de caminhada não impermeabilizadas e colocação de bancos e parque infantil de madeira para lazer, contemplação e descanso. Por se tratarem de áreas dentro do contexto urbano, o projeto Nascentes Urbanas traz a proposta de associar ao projeto de recuperação ambiental, a integração social e cultural.
Estas atividades constam nos objetivos da OSCIP Instituto Árvore da Vida, que é uma organização da sociedade civil de interesse público, qualificada pelo Ministério da Justiça, com atuação na preservação ambiental e inclusão social.
O projeto Nascentes Urbanas visa atender à demanda local e à Convenção sobre Diversidade Biológica. Os objetivos finais convergem na recuperação de áreas remanescentes de vegetação, preservação de córregos e nascentes, proteção ambiental e manutenção da qualidade de vida.
Na área cultural e social, o projeto contempla atividades ligadas à educação ambiental.
Esta vertente do projeto tem duas finalidades específicas:
-Promover a Educação ambiental e preservação.
-Dar abertura à participação popular nos processos de implantação e manutenção do
projeto.
As propostas culturais pertencentes ao projeto Nascentes Urbanas objetivam alavancar a produção cultural com bases na sustentabilidade ambiental e dar subsídios a uma vanguarda popular que dissemine os conceitos de uma nova sociedade, valorização do equilíbrio ambiental, a ética e a cidadania. Serão oferecidas diversas oficinas, cursos e eventos. Os profissionais envolvidos no projeto Nascentes Urbanas acumulam experiências, informações diversificadas, interação em movimentos socioculturais e ambientais, criando deste modo a linguagem diferenciada da proposta, a partir do conceito holístico na reconstrução social, cultural e ambiental.
Objetivos Específicos
Recuperação de áreas urbanas em APP em estado de degradação, plantios, limpeza e manutenção de áreas ciliares e nascentes. Proposta de desenho urbano e de paisagismo associado ao conceito de sustentabilidade ambiental, plantio ciliar, preservação de nascentes e córregos, projetos sócio culturais e participação da sociedade. Construção de equipamentos urbanos através da autoconstrução, utilizando para esta finalidade os recursos das oficinas que atenderão ao público.
A Instalação de um Viveiro de Mudas Nativas permitirá que a OSCIP Instituto Árvore da Vida, administradora do projeto Nascentes Urbanas, desenvolva a produção de mudas para os programas de Recuperação de Áreas Degradadas e Programa de Educação Ambiental.
Programa de Recuperação em Áreas Degradadas:
-Áreas Verdes, praças, matas ciliares e espaços públicos;
-Restauração ecológica ;
-Conexão das matas de brejo através de corredores ecológicos;
-Recomposição das matas de brejo ;
-Programa de Educação Ambiental:
-Educação Ambiental;
-Educação Ambiental para grupos especiais;
-Educação Ambiental para a comunidade do entorno;
-Educação Ambiental para a sociedade.
A produção de mudas nativas é um desafio, devido à diversidade de espécies e a complexidade no processo de germinação de sementes. Com isso, a produção de mudas de boa qualidade e diversidade de espécies se faz necessária para contemplar projetos que visem a restauração de ecossistemas degradados. A construção do Viveiro de Mudas Nativas se faz necessária devido à urgência na produção de mudas de espécies nativas para a recomposição de áreas urbanas degradadas e região. O desenvolvimento de um projeto como esse poderá ser muito importante para a melhoria e ampliação das áreas verdes dos município e regiões que têm sido degradadas de maneira acelerada nos últimos anos, além da utilização das mudas produzidas em projetos que serão desenvolvidos e implantados pela OSCIP Instituto Árvore da Vida.
Nas atividades desenvolvidas com escolas, a fim de consolidar os conhecimentos adquiridos, os alunos são envolvidos na:
-Coleta de sementes;
-Preparação das sementes;
-Preparação do substrato;
-Colocação das sementes para germinar;
-Colocação de plaquetas indicativas contendo: nome da árvore, local da coleta, data do
plantio e turma;
-Regas.
Como objetivo final, após a implantação do projeto a OSCIP Instituto Árvore da Vida dará continuidade ao projeto, fazendo a manutenção em parceria com a comunidade local, associações de moradores, poder público e empresas privadas.
Contato:
55(19)21210192
55(19)989002424
55(19)994544933
deise.nascimento@facebook.com
deisemaradonascimento@gmail.com
http://facebook.com/deisenascimento
Postar um comentário

Formulário de Inscrição - Especifique o nome do projeto que tem interesse

Nome

E-mail *

Mensagem *

Índice de postagens do blog do Instituto Árvore da Vida - IAV

Assine nossa página no Facebook em https://www.facebook.com/arvoredavida
Link para o perfil do Instituto Árvore da Vida no Facebook

.

.
Missão do Instituto Árvore da Vida:
Realizar ações e projetos de preservação ambiental e inclusão social, envolvendo o meio ambiente e a cultura. Difundir o conhecimento de técnicas e aplicações de tecnologias e produtos ambientalmente corretos, cursos de educação sócio ambiental e projetos técnicos na área do meio ambiente, preservação e proteção da fauna e flora.
Breve Histórico sobre o Instituto Árvore da Vida:
O Instituto Árvore da Vida é uma OSCIP que tem por objetivo a preservação ambiental e a inclusão social. Teve sua fundação registrada no dia 06 de setembro de 2005. Foi qualificada como OSCIP pelo Ministério da Justiça em 28 de novembro de 2005.
Os integrantes desta entidade acumularam experiências ao longo de uma trajetória de trabalhos vinculados às questões ambientais, sociais e culturais.
No contexto de uma região metropolitana, conturbada com o desequilíbrio ambiental, o caos social e toda a degradação que os grandes centros urbanos oferecem, entendemos que nossa contribuição para um mundo melhor e para o futuro da humanidade é dedicar nossas habilidades intelectuais, artísticas e condições físicas ao desenvolvimento de uma postura reformadora diante destes fatos.
Da união de diversos profissionais capacitados e intencionados, movidos por este propósito, criou-se esta entidade. Acreditando também que o 3° Setor é o fiel da balança de nossos tempos, realizamos este feito, criar uma OSCIP de preservação ambiental e inclusão social.
O Instituto Árvore da Vida é nosso instrumento de ação, nossa palavra e nossa contribuição para nossa cidade, nosso país, nosso planeta. Trabalhamos para a cura do planeta.

O que é o Projeto Cidades Inteligentes?

O Projeto Cidade Inteligente BR - Smart City é uma ação focada no uso da tecnologia e tecnologia da informação em prol do desenvolvimento sustentável, unindo diversos atores na realização de projetos e políticas públicas. Oferece ao cidadão uma ferramenta de participação ativa na gestão dos recursos disponíveis, bem como a interação dos poderes decisórios, organizações públicas, privadas, profissionais liberais e estudantes. Trabalha como facilitador de processos no desenvolvimento econômico sustentável. Tem como proposta a redução de desigualdades sociais e regionais; incentiva, apoia e propõe inovação tecnológica; expansão e modernização da base produtiva de ciência, tecnologia e tecnologia da informação; trabalha para o crescimento do nível de emprego e renda, bem como na redução da taxa de mortalidade de micro e pequenas empresas; atua no aumento da escolaridade e da capacitação, da produtividade e competitividade e das exportações. Articula recursos e conhecimento em benefício do trabalho cooperado entre parceiros estratégicos visando a obtenção dos melhores resultados. Trabalha em redes físicas e virtuais, disponibilizando a todos os atores envolvidos nos processos informação, distribuição de riqueza e conhecimento proporcionalmente à interação nos processos. O projeto prevê a criação de plataforma tecnológica como base de integração no uso de LED´s em postes de iluminação; bem como sensores e atuadores, oferecendo múltiplos serviços gestionados e unificados num único instrumento, múltiplas Apps para o público, visitante, turista ou cidadão de modo seja possível sentir a experiência na funcionalidade de uma cidade inteligente.

Acompanhar a tendência mundial de transformação dos centros urbanos em cidades inteligentes, bem como a busca da sustentabilidade ambiental e econômica faz com que gestores públicos, profissionais, empresas, ONGs e a sociedade de modo geral queiram entender, participar e receber os benefícios de uma cidade inteligente e sustentável.

Chegamos finalmente na questão crucial, o que realmente é uma cidade inteligente sustentável?

Para muitos as cidades inteligentes dispõem de tecnologia a serviço do cidadão, das organizações, de governos, empresas, etc. Não deixa de ser uma verdade, entretanto tal qual o conceito de Inteligência Múltipla aplicada a humanos, o termo cidade inteligente requer um olhar que prestigie a diversidade intrínseca ao tema. São muitos os componentes possíveis à cidade inteligente e para cada olhar e demanda há um formato específico. Será necessário ter acesso ao conceito, aos formatos disponíveis para efetivamente fazer escolhas. O tema sustentabilidade é controverso e na atualidade há de se ter discernimento sobre métodos e modos de operar a sustentabilidade em sistemas urbanos e novamente o conhecimento da diversidade possível dará subsídios para escolhas conscientes desde o cidadão comum aos poderes decisórios na esfera pública e privada.

http://cidadeinteligenteesustentavel.blogspot.com.br/

.

.

Áreas de atuação do IAV registradas no Estatuto Social



I. Realização de Diagnósticos Ambientais.

II. Realização de Estudos de Impacto Ambiental.

III. Execução de Projetos e Implantação de Reflorestamentos.

IV. Execução de Planos de Manejo para Áreas Florestais.

V. Execução de Projetos, Orientação Técnica para Adoção de Praças Públicas.

VI. Desenvolvimento de Projetos Auto-Sustentáveis Ambientalmente.

VII. Execução e Implantação de Projetos Habitacionais Integrados a Projetos de Preservação e Recuperação Ambiental.

VIII. Estudo e Implantação de Soluções Técnicas em Ambientes Urbanos Degradados, Desenho Urbano, Arquiteturas, Sistemas Viários, Sinalizações, Acessos e Circulação de Pedestres, Preservação de Ambientes Urbanos, Intervenções Urbanas Ambientalistas.

IX. Assessoramento e Monitoramento de Projetos de Preservação e Recuperação Ambiental.

X. Desenvolvimento de Estudos, Projetos, Produtos e Metodologias que tenham por objetivo a Preservação

Ambiental ou Recuperação Ambiental.

XI. Desenvolvimento de Programas de Informação (implantação de Rádios Comunitárias e TV Comunitária) junto comunidade com vistas a multiplicar Ações de Preservação e Recuperação Ambiental.

XII. Produção e Publicação de Livros, Revistas, Jornais, Programação Visual (Cartazes, Banners, Outdoors, Brindes, artesanato, utensílios, objetos de arte, vestuário, calçados, bonés, chapéus, bandeiras, brinquedos, artigos de papelaria, alimentos e produtos que utilizem tecnologias que preservem o meio ambiente ou divulguem a preservação e recuperação ambiental).

XIII. Comercialização de Produtos hortifrutigranjeiros que sejam produzidos por programas implantados por esta OSCIP e que obedeçam a uma política preservacionista.

XIV. Implantação de Programas de Educação Ambiental.

XV. Implantação de Programas de Hortas Comunitárias.

XVI. Implantação de Projetos Culturais.

XVII. Defesa do Patrimônio Artístico, Histórico e Cultural.

XVIII. Promover Intercâmbio com Instituições Culturais, mediante convênios que possibilitem Exposições, Reuniões, Espetáculos, Conferências, Debates, Feiras, Projeções Cinematográficas, Festejos e Eventos Populares e Todas as Demais Atividades Ligadas ao Desenvolvimento Artístico e Cultural.

XIX. Realizar Promoções destinadas à Integração Social da População, com vistas à Elevação Cultural e Artística.

XX. Apoio à Preservação do Folclore e suas manifestações.

XXI. Desenvolvimento de Produtos Fitoterápicos.

XXII. Proteção animal e defesa da fauna e flora silvestres

XXIII. Acompanhamento e monitoração de atividades científicas e de estudo, pesquisa e testes com seres vivos, com objetivo de manutenção da ética e respeito pela vida.

.

.

Pensar global e agir local

Pensar global e agir local
Conheça nossos projetos e apoie nossas ações

O Instituto Árvore da Vida - IAV - É uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - OSCIP

Conheça a proposta do projeto Nascentes Urbanas
Clique aqui
Entre em contato com o Instituto Árvore da Vida.
E-mail:institutoarvoredavida@gmail.com
Fones:+55(19)995913967
Somos uma entidade sem fins lucrativos qualificada como OSCIP pelo Ministério da Justiça. Pessoas físicas e pessoas jurídicas podem se beneficiar de incentivos fiscais fazendo doações.
Para doações e contribuições:
Banco Santander. Agência 0207. Conta 13005609-3